quinta-feira, 7 de maio de 2009

5º Domingo da Páscoa - Ano B - João 15, 1-8

LECTIO DIVINA

1 - LEITURA
O que diz o texto?
Neste fim de semana e no próximo, meditaremos a primeira grande parte do capítulo 15 do evangelho segundo São João. O texto apresenta os oito primeiros versículos do dito capítulo e pode ser dividido em três grandes partes:
1. A videira verdadeira (versículos 1-3);
2. Manter-se unido à videira (versículos 4-6);
3. Ampliação do tema central (versículos 7-8).
Explicaremos brevemente cada uma das partes:
No domingo passado, Jesus se apresentava como o “Bom Pastor”, hoje se apresenta como a “Videira Verdadeira”. A videira era uma árvore comum na Palestina, porém requeria muitos cuidados da parte do vinhateiro, dado as particulares condições climáticas daquela região. Todo agricultor se empenhava muito no cuidado de sua videira. Quando um ramo não dava uvas, não dava frutos, este devia ser cortado. Quando um ramo dava uvas, este devia ser cuidado (literalmente “purificado”) para que pudesse dar mais frutos. A isto, habitualmente denominamos poda. É consolador que Jesus diga a seus discípulos que eles já estão limpos pela palavra que receberam.
Na segunda parte do relato, coloca-se a ênfase em duas questões intimamente relacionadas: por um lado, a insistência em dar frutos, em dar uvas… por outro lado, a necessidade de manter-se unido a Jesus para poder dar frutos. O verbo que aqui se traduz como “manter-se unido”, podemos traduzir também por “permanecer”. É o verbo grego menein que significa “permanecer unido”, porém não de maneira estática e fixa como em nossa língua. É um permanecer unidos de maneira dinâmica, com idas e voltas.
Com uma relação de diálogo com o Senhor. Em cinco versículos, do 4 ao 7, aparece oito vezes este verbo. Assim como os ramos não podem fazer nada sem a planta, da mesma maneira os discípulos de Jesus não podem fazer nada se não estiverem unidos a Ele.
Na terceira parte do texto, aparece uma série de conseqüências lógicas: quem está unido a Jesus vai ter a experiência da oração eficaz: “receberão de meu Pai tudo o que pedirem”. Isto é fácil de dizer, porém muito difícil de viver. Por isso mãos à obra, para que sendo autênticos discípulos, possamos dar muitos frutos e desfrutemos de uma oração eficaz por parte do Pai, já que estamos intimamente unidos ao Senhor.
Curiosidade: Há diferenças terminológicas no hebraico e no grego da Bíblia para falar de videira, vinha e vinhedo; em linhas gerais podemos considerá-las mais ou menos a mesma coisa. De fato, é a imagem simbólica do antigo e novo povo de Israel segundo os textos do AT e do NT. Outros textos bíblicos para confrontar: Is 5; Jn 6,56-57; Ez 15,1-8 e Mt 5,16.

Perguntas sobre a leitura
· Com o que se identifica o relato de Jesus?
· Como a videira é qualificada?
· Qual é a função do Pai? O que faz com a videira?
· O que acontece com os ramos que não dão frutos?
· O que acontece com os ramos que dão frutos?
· Por que estão “limpos” os discípulos de Jesus?
· Em quais versículos aparece o verbo “manter-se unido”?
· Quem são os “sujeitos” deste verbo “manter-se unido” ou “permanecer”?
· O que acontece com o discípulo que não está unido a seu Senhor?
· O que acontece com o discípulo que está unido efetivamente a seu Senhor?
· Como se conclui o texto que acabamos de ler?

2 - MEDITAÇÃO
O que me diz o texto? O que nos diz o texto?
Perguntas para a meditação
· O que significa hoje, para mim, Jesus se definindo como a “videira verdadeira”?
· Associo a “videira verdadeira” à “luz verdadeira” ou ao “bom pastor” ou à “vida em abundância” que meditamos em outros textos do evangelho de São João?
· Sinto-me parte de Jesus (“videira verdadeira”)?
· Experimento que o Pai “cuida de mim” ao cuidar da videira a qual pertenço?
· Dou frutos em minha vida?
· Quais são os “bons frutos” de minha vida? Fazer uma lista detalhada dos últimos dois anos.
· Em quais circunstâncias de minha vida não estou dando frutos ou me custa dar frutos? Fazer também uma lista tendo presente os últimos dois anos.
· Deixo-me podar para assim dar melhores frutos? A poda é difícil, me dá medo, me dói…?
· Por que creio que me custa dar frutos em alguns aspectos de minha vida?
· Permaneço unido a Jesus? Em quais situações sim e em quais não?
· Sinto-me unido dinamicamente a Pessoa de Jesus que me busca para dialogar, para que eu seja seu discípulo?
· Sou autêntico discípulo? Obedeço ao que Jesus tem ensinado?
· Sinto que o Pai está orgulhoso de minha vida, de minhas lutas, de meus progressos, de meu amadurecimento e crescimento?

3 - ORAÇÃO
O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

4 - CONTEMPLAÇÃO
Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?
Para a contemplação propomos a utilização da expressão: dar muitos frutos para ser autêntico discípulo de Jesus…
· Quero dar muitos frutos na escola para ser autêntico discípulo de Jesus…
· Quero dar muitos frutos em meu grupo de amigos para ser autêntico discípulo de Jesus…
· Quero dar muitos frutos em ……………………… para ser autêntico discípulo de Jesus…

5 - AÇÃO
Com que me comprometo? Com que nos comprometemos?
Proposta
· Escolher três ações concretas que nos ajude a estar unidos a Jesus ao longo desta semana.
CELAM/CEBIPAL – SOCIEDADES BÍBLICAS UNIDAS
Pe. Gabriel MESTRE
Tradução: fr. Renã Barros, osm
http://www.lectionautas.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns pela iniciativa, visitei o seu blog na busca de saber sobre o evangelho do próximo domingo. Aqui em Capanema-Pa fazemos o estudo da palávra todas as segundas feiras e sempre estudamos o evangelho do domingo seguinte. è muito importante a presença da Igreja na internet; temos que utilizar melhor o recurso. Tirar um melhor proveito. Digo porque percebemos que as outras religiões parecem ter investido mais no veículo do que os Católicos. Quanto ao comentário do Evangelho; eu gostei muito da forma como foi clocada a explicação. Qualquer pessoa entende por ser de uma linguagem fácil e clara sem deixar de ser profunda.
Já selecionei como meu favorito estarei acompanhando sempre.
Wal oliveira.